Military Thread - 2022

Tópico em 'Vale tudo' criado por rapier em 31/12/2021, 22:04.
Páginas (47): 1 2 3 4 5 ... 47
466 respostas neste tópico
 #1
Tópico para discussão sobre assuntos militares.
Responder
 #2
Não tenho prestado muita atenção por estar jogando FFXIV, mas intrigado pelas posições dos grupos de porta-aviões, resolvi checar o posicionamento do resto da marinha americana pelo mundo. E parece que desde dezembro eles estão reforçando a Sétima Frota (região do Pacífico).
Talvez estejam temendo que se a Rússia fizer algo mais concreto contra a Ucrânia, a China vai aproveitar o ensejo para atacar Taiwan.

Faz anos que a OTAN se prepara para a possibilidade da Ucrânia cair, mas Taiwan é tão ou mais importante quanto o remanejamento de forças no Leste europeu.

A propósito, se a China atacar Taiwan, vocês vão sentir saudade de quando uma placa de video intermediária custava 10.000 reais HAHA!
Responder
 #3
(21/01/2022, 12:30)Zefiris Escreveu: Não tenho prestado muita atenção por estar jogando FFXIV, mas intrigado pelas posições dos grupos de porta-aviões, resolvi checar o posicionamento do resto da marinha americana pelo mundo. E parece que desde dezembro eles estão reforçando a Sétima Frota (região do Pacífico).
Talvez estejam temendo que se a Rússia fizer algo mais concreto contra a Ucrânia, a China vai aproveitar o ensejo para atacar Taiwan.

Faz anos que a OTAN se prepara para a possibilidade da Ucrânia cair, mas Taiwan é tão ou mais importante quanto o remanejamento de forças no Leste europeu.

A propósito, se a China atacar Taiwan, vocês vão sentir saudade de quando uma placa de video intermediária custava 10.000 reais HAHA!

O ex-secretário de defesa americano foi no Joe Rogan por esses dias e disse que os Estados Unidos estão executando a sério um projeto de trazer novamenteaos EUA a produção eletrônica. Lógico que não tudo, mas o planejamento americano hoje é voltado a isso. Acho que essa dependência tá com o tempo contado.
Responder
 #4
(21/01/2022, 14:34)Lonely Escreveu: O ex-secretário de defesa americano foi no Joe Rogan por esses dias e disse que os Estados Unidos estão executando a sério um projeto de trazer novamenteaos EUA a produção eletrônica. Lógico que não tudo, mas o planejamento americano hoje é voltado a isso. Acho que essa dependência tá com o tempo contado.

Quase toda a cadeia de produção de eletrônicos de alto nível envolve China e Taiwan. Mover partes para os EUA apenas aumentará o preço dos produtos. O que tá acontecendo é que é possível mover a fabricação de chips (CPUs), logo vão abrir fábricas nos EUA, no Japão... mas a integração dos chips e a fabricação de PCBs (circuitos impressos, mobos) ainda deve ficar na China e em Taiwan.
Responder
 #5


@rapier, aproveitando, nesse tópico pode falar de assintos militares antigos também? Ou só coisas atuais? Eu gosto muito de história militar, mas não sei se posso falar sobre isso aqui.
Responder
 #6
(21/01/2022, 14:39)Lonely Escreveu: @rapier, aproveitando, nesse tópico pode falar de assintos militares antigos também? Ou só coisas atuais? Eu gosto muito de história militar, mas não sei se posso falar sobre isso aqui.

Claro que pode falar sobre isso aqui, pois é assunto militar.
Responder
 #7
Os EUA informaram à Ucrânia que provavelmente iniciarão as evacuações já na próxima semana de famílias de diplomatas no país.

-------------------------
Ainda é pleno inverno no Hemisfério Norte, e mês passado os ativistas ecológicos estavam todos felizes que a Alemanha estava desativando usinas nucleares...

Não sei o que exatamente o Putin esteve esperando todos esses anos de guerra de trincheira no Leste ucraniano, mas se esperava os alemães ficarem ainda mais dependentes do seu gás, agora está fácil desmotivar a Alemanha de defender a Ucrânia. Aliás, embora mantenha uma retórica agressiva, a Alemanha está impedindo a Estônia, aliada da OTAN, de dar apoio militar à Ucrânia, recusando-se a emitir licenças para que armas de origem alemã sejam exportadas para Kiev.
Responder
 #8
Circulando aqueles videos que se vê anualmente com armas e tropas russas sendo redirecionadas para próximo da fronteira ucraniana.

Embora seja dificil confirmar a data e o local desses videos, é interessante observar a quantidade de tanques T-80BV. Eles são mais adequados para uma ofensiva no inverno do que os T-90 (embora no momento não faça tanto frio, uns -10 graus). E supostamente estariam sendo posicionados na Bielorrússia. A defesa anti-tanque da Ucrânia deve estar mais diluida naquela direção.

Canhões 2S7M Malka 203mm e o morteiro pesado 2S4 Tyulpan não se fizeram muito presentes em anos anteriores. Sendo adequados em um cenário que a Rússia resolva avançar pelas posições fortificadas que a Ucrânia construiu ao longo de sua fronteira Leste.

Em relação aos vídeos com baterias de Iskander-M sendo posicionados na Bielorrússia, mesmo que sejam autênticos, esse fato já ocorreu em anos anteriores.

Outro ponto de interesse nesses videos/fotos é a presença de veiculos Leer-2 de guerra eletrônica. Além de interferência, devem ser capazes de triangular posições inimigas para repassar os dados para artilharia.
E parece haver muito material para criação de pontes logísticas, que são necessárias em qualquer ofensiva a sério.

Mas se o Putin vai colocar tudo isso realmente em ação, ainda é uma incógnita.
Responder
 #9
As contas pró-Rússia do Telegram estão impulsionando a narrativa de que os supermercados ao redor de Kiev estão começando a ficarem vazios devido ao pânico da população.
Possivelmente é apenas desinformação russa trabalhando, como já fazia na época do Bloqueio de Berlim (1948-49). Embora o advento da internet deixou as coisas mais dinâmicas.
A situação para os civis ucranianos não deve ser tão diferente dos anos anteriores. A guerra com a Rússia é o dia-a-dia deles há tempo.
Responder
 #10
Abaixo sinalizei a posição geral que costuma ficar cada uma das brigadas de mísseis Iskander-M. Cada uma dessas brigadas inclui 16 lançadores (cada um com dois mísseis). Até 2019 era 12 lançadores por brigada, mas a Rússia começou a reforçá-los em meados de 2020. Sendo sistemas móveis que são, a posição pode mudar de acordo com o contexto, mas geralmente ficam em posições próximas das sinalizadas.

Esses mísseis tem alcance estimado de uns 500km (extraoficialmente, dizem que podem ser adaptados para alcançar 2.000 km), e carregam ogivas nucleares, convencionais ou de EMP. Fazem uso de veículos de reentrada manobrável e chamarizes para tentar derrotar os sistemas de defesa antimísseis do inimigo.

Spoiler: Imagem grande  
[Imagem: YDMuhzG.jpg]
Responder
Páginas (47): 1 2 3 4 5 ... 47

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes