Há post(s) esperando a moderação
Há tópico(s) esperando a moderação

D.Gray-man


Páginas (2): 1 2 Próximo »
18 respostas neste tópico
 #1
[Imagem: SOjXi9n.png]

Ficha técnica:

Título: D.Gray-man
Título alternativo: Sinônimo: Grayman, O Homen Cinza, dgrayman, ディー・グレイマン, D.Gray-Man, D.Gray-man | Japonês: D.Gray-man | Abreviatura: D.G, DGM
Formato: Série de TV
Gênero: Aventura, Ação, Comédia, Fantasia, Magia, Violência
Obra original: Mangá - 25 volumes (Em andamento)
Público-alvo da obra original: Shonen
Editora (Label): Weekly Shōnen Jump, Jump Square, Jump SQ.Crown
Escrito por: Hoshino Katsura
Site oficial: http://www.tms-e.com/tv_movie/dgrayman/
Estúdio: TMS Entertainment
Produtora: Dentsu, TMS Entertainment, TV Tokyo
Diretor: Nabeshima Osamu
Supervisor do script: Yoshida Reiko
Character designer: Morioka Hideyuki
Data de estréia: 03/10/2006
Emissora: TV Tokyo
Número de episódios: 103
Abertura 1: "Innocent Sorrow" por Abingdon Boys School
Abertura 2: "Brightdown" por Tamaki Nami
Abertura 3: "Doubt & Trust" por Access
Abertura 4: "Gekidou" por Uverworld
Encerramento 1: "Snow Kiss" por Nirgilis
Encerramento 2: "Pride of Tomorrow" por June
Encerramento 3: "Yume no Tsuzuki e" por Surface
Encerramento 4: "Antoinette Blue" por Kitade Nana
Encerramento 5: "Anata ga Koko ni Iru Riyuu" por Rie Fu
Encerramento 6: "Wish" por Sowelu
Encerramento 7: "Regret" por Hoshimura Mai
Encerramento 8: "Changin` (Stephanie Only Ver.)" por Stephanie
Maiores informações: [Wikipedia (EN) | Wikipedia (PT) | MyAnimeList | AnimeNewsNetwork | AniDB]
jasque curtiu este post.
Responder
 #2
Quem viu D.Gray-man completo:
  1. @AlekseyK.
  2. @Aretkusu
  3. @Aru
  4. @black sun
  5. @Bravantt
  6. @DavidPetroni
  7. @Deathclock
  8. @gabrielfo19
  9. @Hawk
  10. @jasque
  11. @Kazuya
  12. @ProRage
  13. @Ray
  14. @Rowel
  15. @Shyboy
  16. @StayVK
  17. @TimeBandit
  18. @Ton
  19. @yamiT
  20. @zakon
  21. @Zer0KS

Gostava muito da música da OP1. Já o anime é NVNV.
Responder
 #3
Tópico pra the gay man? Nunca achei que viveria pra ver isso.

Gostava de algumas músicas, mas vi o anime há muito tempo, lembro de pouca coisa.
Responder
 #4
"completo" eu não vi, a segunda temporada demorou tanto que perdi o interesse e não cheguei a uma conclusão. Mas enfim, dentre os shounens infinitos da época esse era de longe o que me agradava mais, pois tinha um tom mais sombrio.
Responder
 #5
As OPs eram ótimas, principalmente a da Nami Tamaki, não lembro se era a 3 ou a 4. O anime nunca vi 1 ep nem nunca me interessei. Pra não dizer que nada me interessou, a dona protagonista parecia legal. Mas parece que cortam o cabelo dela na metade da série, estragando-a. Isso zerou as já pequenas chances de eu assistir. Icon_mrgreen
Responder
 #6
É bem chatão. Não teve muita coisa interessante nisso aí, as lutas eram bem ridículas, só teve uns 2 momentos do anime que foi legal porque o protagonista fez algo decente, mas no geral é bem chato, o novo anime não foi tão ruim quanto, mas ainda foi ruim. O mangá também não presta.
Responder
 #7
Assisti todos os 115+ epis, acho, faz um bom tempo já.

Anime Shonen, tem seus bons e maus momentos.
Responder
 #8
Lembro que uma coisa me incomodava muito.
Aparecia um monstro lvl 2. Era um inferno pra matar.
5 episódio depois tinha monstro lvl 2 pra todo canto que morria com um Peteleco.
Aí aparece um lvl 3. Quase a party toda morre pra matar um. A menina salva o dia.
5 episódios depois tem monstro lvl 3 pra todo canto que morre com um Peteleco.
Eu parei quando apareceu um lvl 4, ou algo do tipo.
Responder
 #9
(17/08/2018, 08:52)TimeBandit Escreveu: Lembro que uma coisa me incomodava muito.
Aparecia um monstro lvl 2. Era um inferno pra matar.
5 episódio depois tinha monstro lvl 2 pra todo canto que morria com um Peteleco.
Aí aparece um lvl 3. Quase a party toda morre pra matar um. A menina salva o dia.
5 episódios depois tem monstro lvl 3 pra todo canto que morre com um Peteleco.
Eu parei quando apareceu um lvl 4, ou algo do tipo.

Coisa tipica de shounen, fica mais forte cada vez que inimigos mais fortes aparecem, como se fosse automático.
Responder
 #10
DGM é um anime importante pra mim. Em um tempo em que eu havia abandonado todo e qualquer battle shonen, ele e KHR foram os que me trouxeram de volta. No tempo, aqui não tinha tantos pacotes de internet como se tem hoje em dia, a máxima na cidade onde eu morava era 2mb — e com um plano era caríssimo —, então eu simplesmente usava internet discada, ela me servia, quebrava um galho. Nos altos e baixos após chegar e estudar um bocado eu normalmente assistia algumas séries de animes e muitas vezes longas animados, longe dos battle shonen, até que um dia fui na casa de um amigo para pegar alguns episódios de Muteki Kaban Musume e ele comentou sobre um anime legal que ele estava vendo... Sem pensar muito, falei pra ele passar para o pen driver também. Eram alguns episódios de KHR e DGM que tinham disponíveis no tempo (...)
(...) Quando comecei a assistir o anime me deparei com um visual diferente, personagens intrigantes e uma trama interessante, o que capturou meu interesse em continuar, não houve decisão melhor que eu podia fazer no momento.

Acho incrível como apesar de ser um battle shonen DGM demorou até tomar sua identidade para si mesmo e decidir o que gostaria de aplicar e desenvolver. No início segue com uma trajetória misteriosa, seguindo um personagem em sua jornada para apenas recuperar a inocências para a ordem, o que torna o início totalmente episódico e sem verdadeiro sentido em seguir em frente, com o passar do tempo, novos personagens aparecem, e apesar de serem em sua grande maioria clichês, todos ali tem um background formado, além de ter suas convicções exploradas e desenvolvidas ao longo da trama. Apesar de DGM pecar em suas lutas não tão coreografadas ou até mesmo curtas e previsíveis em seu início, eu fiquei emergido no visual mais escuro e personagens, onde apresentavam estruturas mais surrealistas e cenários bem trabalhados  — que, por sinal, lembravam-me alguns episódios de Bucky.
O Allen além de ser um personagem que eu simpatizo, não o acho forçado e condizente, e apesar de suas "emices" em alguns momentos, elas são completamente plausíveis e entendíveis. O personagem não é bem desenvolvido até o último arco do anime, dando assim espaço nos episódios anteriores para desenvolver alguns personagens secundários, que outrora eram apenas mais alguns personagens clichês, se tornam personagens com personalidade e desenvolvimento. As lutas do arco final se enquadram melhor no quesito de "battle shonen" pois é quando todo mundo sofre um upgrade, e habilidades outrora não mostradas ainda surgem como se o personagem já a tivesse e porém não tivesse a utilizado nos momentos que passaram dificuldades anteriormente (?). A trilha sonora e algumas aberturas do anime são muito boas, assim como a animação, que considero a identidade mor do anime. Estruturas medievais e totalmente com uma atmosfera gótica, onde até mesmo os dias mais iluminados do anime aparentam ser nublados dá um charme a mais. Eu pessoalmente assisti DGM do início ao fim sem considerá-lo um battle shonen, e mesmo hoje em dia não o considero — shonen, sim; battle? Nope.
Só ressaltando que a música do Décimo Quarto (Mana) foi uma música a parte. Lembro que treinei um tempo até pegar ela por completo, linda música.

Quando havia assistido o último episódio, senti que se houvesse mais episódios, eu com certeza continuaria assistindo e iria continuar me entretendo. Sendo assim, mesmo com todos os seus defeitos, DGM me agradou. Talvez tivesse me pego de guarda baixa — nunca vou saber... 
Até hoje eu lamento o estado da Hoshino e o todas as turbulências que a série passou, passa, e muito provavelmente vai continuar passando.
Responder
Páginas (2): 1 2 Próximo »

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes