Há post(s) esperando a moderação
Há tópico(s) esperando a moderação

Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai


Páginas (10): « Anterior 1 2 3 4 5 ... 10 Próximo »
95 respostas neste tópico
 #21
@Erickson, fiquei sabendo que completastes esse.
Responder
 #22
Espero que o filme 2 seja o que o filme 1 não foi. Procurar um afterword cheio de hype e no fim ser só um recap do anime, foi muito decepcionante. Pior de tudo seria se isso fosse algo ruim, pois por epílogo, esperaria um final óbvio, dos casais óbvios, sem muito rodeios, apenas para finalizar a história de uma boa maneira, já que gostei da obra.
Responder
 #23
Nossa, @ketolow, como você descobriu? D:

Enfim, assisti AnoHana numa tacada só. Com apenas 11 episódios, deu pra ver tudo numa tarde/noite.

O tl;dr seria algo assim: muito bom o começo, excelente o desenvolvimento e o final, apenas ok.

AnoHana é um daqueles animes que você vai assistir já sabendo mais ou menos o que acontece por culpa da fama que a obra alcançou. Sempre comparada com outras tearjerker como Clannad:AS e AB!, eu já esperava uma direção voltada pra fazer o espectador se emocionar. Creio que justamente por isso, sempre adiei ver o anime; mas ao acabar finalmente assistindo - não me arrependi; gostei bastante, aliás - não, contudo, por ter sido emocionante, mas pelo desenvolvimento dos personagens. Explico:

AnoHana tem algo que, às vezes, falta num anime do estilo (com personagens jovens e focado na amizade, velho e batido tema) - que é a verossimilhança. Cansamos de ver personagens clichês criando teias de relações clichês e que fogem do escopo de nossa realidade. Em AnoHana, nós temos os personagens apresentados e, talvez com exceção apenas da própria Menma, todos eles demonstram boas motivações e aprofundam no que o ser humano sente e pensa. Você realmente consegue se identificar com qualquer um deles em praticamente qualquer parte da história porque é algo palpável no nosso cotidiano. Quem nunca, afinal, se viu na contraditória situação de gostar e odiar a mesma pessoa porque você a admirava ao mesmo tempo que a invejava? Este é só um exemplo de como a obra trabalha bem todos os aspectos, em especial os da perda e da superação - que é foco.

A Menma, abro um parênteses aqui, a coloco como exceção porque ela é o anormalidade na história. É o que torna tudo mais interessante porque ela não deveria estar ali e ela, apenas ela, que proporciona a mudança fantasiosa nos personagens. E aí entra o que, pra mim, foi o ponto negativo e que faz cair o nível da história no fim: eles deixaram de lado o aprofundamento da situação, sacrificaram o estilo de storytelling que estavam fazendo até então para focar no apelo a emoção e abolimento da razão.

Ok, é catártico ver todos os personagens admitindo seus erros, desnudando-se uns perante os outros e, depois de muita enrolação e conveniências exageradas no plot, poderem todos se despedir da Menma numa poética sono de nascer do Sol, nascer de uma nova fase da vida? Sim, é catártico, quase uma redenção - você se emociona e se sente bem (ou mal), mas realmente força algo de dentro de ti. Mas você NÃO se identifica. É forçado. Muita gente assiste e digere numa boa, mas acho que eu já sou macaco velho e acabo vendo nas entrelinhas... O final foi meramente feito para arrancar lágrimas do público. E isso tira a magia.

Comparando com Clannad (já que sempre existem comparações entre esses dois e agora eu, finalmente, posso falar sobre), onde - APESAR DE CLARO, a direção de Clannad não ter sido inocente, eles usaram de artifícios semelhantes para induzir o espectador a se emocionar -, ao menos, contudo, você conseguia se identificar e se projetar no lugar do Tomoya. Eles não sacrificaram a verossimilhança, Clannad o negócio se encaixava e você sentia a dor da perda - bem visceral ali. Em AnoHana, você não encontra essa sinergia.

Mas valeu à pena. É um bom anime. Foge dos padrões dentro de um velho clichê e é compreensível que tenha feito tanto sucesso e que o pessoal goste e se emocione vendo. Três coraçõezinhos pra ele! <3 <3 <3
Lonely e NhK-kun curtiram este post.
Responder
 #24
(06/12/2015, 10:53)Erickson Escreveu: Nossa, @ketolow, como você descobriu? D:
Contatos.

(06/12/2015, 10:53)Erickson Escreveu: Você realmente consegue se identificar com qualquer um deles em praticamente qualquer parte da história porque é algo palpável no nosso cotidiano. 
Sim, os sentimentos dos personagens são coerentes. No entanto, não senti toda essa identificação enquanto assistia

(06/12/2015, 10:53)Erickson Escreveu: Quem nunca, afinal, se viu na contraditória situação de gostar e odiar a mesma pessoa porque você a admirava ao mesmo tempo que a invejava?
Eu.

(06/12/2015, 10:53)Erickson Escreveu: A Menma, abro um parênteses aqui, a coloco como exceção porque ela é o anormalidade na história. É o que torna tudo mais interessante porque ela não deveria estar ali e ela, apenas ela, que proporciona a mudança fantasiosa nos personagens. E aí entra o que, pra mim, foi o ponto negativo e que faz cair o nível da história no fim: eles deixaram de lado o aprofundamento da situação, sacrificaram o estilo de storytelling que estavam fazendo até então para focar no apelo a emoção e abolimento da razão.
Tu achas que o final seria melhor se a Menma se revelasse apenas paranoia do Jinta e, então, não pudesse ser exposta aos outros colegas, tão pouco mandar bilhetes?

(06/12/2015, 10:53)Erickson Escreveu: Ok, é catártico ver todos os personagens admitindo seus erros, desnudando-se uns perante os outros e, depois de muita enrolação e conveniências exageradas no plot, poderem todos se despedir da Menma numa poética sono de nascer do Sol, nascer de uma nova fase da vida? Sim, é catártico, quase uma redenção - você se emociona e se sente bem (ou mal), mas realmente força algo de dentro de ti. Mas você NÃO se identifica. É forçado. Muita gente assiste e digere numa boa, mas acho que eu já sou macaco velho e acabo vendo nas entrelinhas... O final foi meramente feito para arrancar lágrimas do público. E isso tira a magia.
Mesmo que os sentimentos dos personagens tenham sido realistas, para mim, Ano Hana nunca teve a proposta de quebrar padrões e chocar com o realismo, então o final é justificável. É muito mais fácil finalizar com uma cena poética e bonita, aceitável pelo público em geral, do que com algo mais realista, destruidor de fantasias e sonhos, como a minha sugestão. Analisando um anime, temos sim que pensar no que seria mais satisfatório para nós, mas sem esquecer da proposta do anime, baseada no que mais satisfaria o público alvo. Muitos que assistiram Ano Hana gostariam até de ver a Menma revivendo! Já se chocaram por ela ter realmente morrido, imagina se fazem dela uma alucinação? Seria o estopim para uma terceira guerra mundial. Infelizmente, o carisma da personagem era grande demais para destruírem ela. A indústria sempre prefere não se arriscar.
Responder
 #25
(06/12/2015, 15:03)ketolow Escreveu: Sim, os sentimentos dos personagens são coerentes. No entanto, não senti toda essa identificação enquanto assistia

Você não é parâmetro.

(06/12/2015, 15:03)ketolow Escreveu: Tu achas que o final seria melhor se a Menma se revelasse apenas paranoia do Jinta e, então, não pudesse ser exposta aos outros colegas, tão pouco mandar bilhetes?

Não. Creio que todos saberem que a Menma era real foi um ponto importante, mas como foi feito a partir daí - especialmente no último episódio - é que desfalcou, pra mim, a história.

(06/12/2015, 15:03)ketolow Escreveu: Mesmo que os sentimentos dos personagens tenham sido realistas, para mim, Ano Hana nunca teve a proposta de quebrar padrões e chocar com o realismo, então o final é justificável. É muito mais fácil finalizar com uma cena poética e bonita, aceitável pelo público em geral, do que com algo mais realista, destruidor de fantasias e sonhos, como a minha sugestão. Analisando um anime, temos sim que pensar no que seria mais satisfatório para nós, mas sem esquecer da proposta do anime, baseada no que mais satisfaria o público alvo. Muitos que assistiram Ano Hana gostariam até de ver a Menma revivendo! Já se chocaram por ela ter realmente morrido, imagina se fazem dela uma alucinação? Seria o estopim para uma terceira guerra mundial. Infelizmente, o carisma da personagem era grande demais para destruírem ela. A indústria sempre prefere não se arriscar.

A proposta do anime é sempre vender. Se algo agrada e vende, então tudo é justificável. Eles fizeram algo mais fácil de ser digerido para agradar uma gama maior de pessoas - nada de errado com isso. Só creio, pessoalmente falando, que poderia ter sido mais trabalhado seguindo a linha que o anime estava tendo desde o início; calhou que o final foi incongruente, embora justificável. Não desgostei por isso, mas sinto que poderia ter aproveitado bem mais.
E aí repito, óbvio que estou falando de mim. Muita gente prefere o mamão com açúcar enquanto outros já torcem totalmente o nariz. Fico em cima do muro. Por isso que o final foi OK.
Responder
 #26
(06/12/2015, 16:53)Erickson Escreveu: Você não é parâmetro.
Uh, que específico, então quem é parâmetro?

(06/12/2015, 16:53)Erickson Escreveu: Não. Creio que todos saberem que a Menma era real foi um ponto importante, mas como foi feito a partir daí - especialmente no último episódio - é que desfalcou, pra mim, a história.
Eu preferia que a Menma não fosse real. Seria mais interessante, consequentemente mais complicado de dirigir e digerir. 

(06/12/2015, 16:53)Erickson Escreveu: Só creio, pessoalmente falando, que poderia ter sido mais trabalhado seguindo a linha que o anime estava tendo desde o início; calhou que o final foi incongruente, embora justificável. 
A última cena, em especial, eu concordo ter sido extremamente forçada. Não entendo, porém, como poderiam trabalhar uma conclusão tão irracional com racionalidade. Do jeito que foi feito, foi satisfatório para o público em geral, e esse era o objetivo. Talvez um drama mais suave não causasse tanto impacto no kokorô do telespectador. A cena foi arranjada, mas ainda assim te faz prender a atenção. Não exageraram a ponto de causar uma reação desfocada, que te fizesse pensar "ahh, que viadagem", principalmente pelo desenvolvimento ter te feito chegar até lá carregado de sentimentos pelos personagem.
Responder
 #27
(06/12/2015, 17:09)ketolow Escreveu: Uh, que específico, então quem é parâmetro?

Eu preferia que a Menma não fosse real. Seria mais interessante, consequentemente mais complicado de dirigir e digerir. 

A última cena, em especial, eu concordo ter sido extremamente forçada. Não entendo, porém, como poderiam trabalhar uma conclusão tão irracional com racionalidade. Do jeito que foi feito, foi satisfatório para o público em geral, e esse era o objetivo. Talvez um drama mais suave não causasse tanto impacto no kokorô do telespectador. A cena foi arranjada, mas ainda assim te faz prender a atenção. Não exageraram a ponto de causar uma reação desfocada, que te fizesse pensar "ahh, que viadagem", principalmente pelo desenvolvimento ter te feito chegar até lá carregado de sentimentos pelos personagem.

Parâmetro: pessoas que socializam normalmente.

Caso a Menma não fosse real, o enredo ficaria com alguns plotholes que seriam difíceis de serem explicados depois. Fico imaginando as 1001 conveniências pra fazer essa rota funcionar...

Então é aí que discordamos... No momento inicial do último episódio, onde todos começaram a literalmente gritar e chorar suas confissões uns aos outros, eu só consegui rir. Achei a cena cômica, e a parte seguinte, na qual tentam diminuir a tensão com uma piadinha, eu achei muito sem graça. Eles pegaram todo um desenvolvimento e, em um episódio apenas, resolveram tudo na base do grito.
Não tô "pedindo" pra trabalharem racionalmente o negócio, porque o absurdo de se falar com alguém que já morreu foge do escopo, mas tudo se resolveu rápido demais e ficou artificial: perdeu totalmente a verossimilhança. Alguns personagens passarem vários episódios para admitirem seus erros, mas no último ep, tudo se resolveu num único momento. Magicamente. Então, no final, todos choram e se despedem e é lindo e tudo mais; mas não consegui comprar.
Responder
 #28
(06/12/2015, 17:17)Erickson Escreveu: Parâmetro: pessoas que socializam normalmente.
Rude.

(06/12/2015, 17:17)Erickson Escreveu: Caso a Menma não fosse real, o enredo ficaria com alguns plotholes que seriam difíceis de serem explicados depois. Fico imaginando as 1001 conveniências pra fazer essa rota funcionar...
Claro, o anime teria que ser bem diferente. Por isso acho que esse final foi ideal para o que queriam fazer. A minha proposta mudaria todo o rumo do anime, desde o desenvolvimento até a conclusão.

(06/12/2015, 17:17)Erickson Escreveu: Então é aí que discordamos... No momento inicial do último episódio, onde todos começaram a literalmente gritar e chorar suas confissões uns aos outros, eu só consegui rir. Achei a cena cômica, e a parte seguinte, na qual tentam diminuir a tensão com uma piadinha, eu achei muito sem graça. Eles pegaram todo um desenvolvimento e, em um episódio apenas, resolveram tudo na base do grito.
Eu não me lembro dessa cena. Assumo que tenha achado nada de mais, então. :p

(06/12/2015, 17:17)Erickson Escreveu: Não tô "pedindo" pra trabalharem racionalmente o negócio, porque o absurdo de se falar com alguém que já morreu foge do escopo, mas tudo se resolveu rápido demais e ficou artificial: perdeu totalmente a verossimilhança. Alguns personagens passarem vários episódios para admitirem seus erros, mas no último ep, tudo se resolveu num único momento. Magicamente. Então, no final, todos choram e se despedem e é lindo e tudo mais; mas não consegui comprar.
Então a falta foi de tempo? Bem, é difícil concluir um anime tão cheio de conflitos em 11 episódios.
Pelo que me lembro, todos queriam ver a Menma, mas estavam tsunderizando(exceto o Poh). O final foi tão corrido quanto a notícia de que a mocinha estava desaparecendo. Como todos os personagens já haviam se resolvido, não faria sentido se continuassem fazendo joguinhos e negassem se reunir para a despedida dela. Não tento entender a atitude deles porque não sei se haveria uma saída lógica ou correta para agir em uma situação como a que eles se encontravam.
Responder
 #29
(06/12/2015, 17:30)ketolow Escreveu: Rude.

Coração

(06/12/2015, 17:30)ketolow Escreveu: Claro, o anime teria que ser bem diferente. Por isso acho que esse final foi ideal para o que queriam fazer. A minha proposta mudaria todo o rumo do anime, desde o desenvolvimento até a conclusão.


Ah beleza! Tá aí um anime que eu queria ver... Se bem que já tô vendo um anime roteirizado por você nessa temporada...

(06/12/2015, 17:30)ketolow Escreveu: Então a falta foi de tempo? Bem, é difícil concluir um anime tão cheio de conflitos em 11 episódios.
Pelo que me lembro, todos queriam ver a Menma, mas estavam tsunderizando(exceto o Poh). O final foi tão corrido quanto a notícia de que a mocinha estava desaparecendo. Como todos os personagens já haviam se resolvido, não faria sentido se continuassem fazendo joguinhos e negassem se reunir para a despedida dela. Não tento entender a atitude deles porque não sei se haveria uma saída lógica ou correta para agir em uma situação como a que eles se encontravam.

Exato. Correram justamente pra não perder o apelo emocional. Se fosse pra ter, digamos, mais um ou dois episódios pra desconstruir melhor cada personagem, provavelmente o fim não teria o mesmo choque pro grande público.
Ainda preferiria ver o seu roteiro hahahah
Responder
 #30
Terminei de ver o anime hoje.
Pelo pouco que eu tinha lido, esperava um pouco mais.

Ele é um anime que apela demais para o emotivo, forçando uma história trágica desde o início e com os personagens todos traumatizados.
Bom, esse tipo de drama não é meu favorito.

Diria que foi um anime 7/10.
Achei o final coerente, valeu a pena assistir.
Responder
Páginas (10): « Anterior 1 2 3 4 5 ... 10 Próximo »

Usuários visualizando este tópico: 1 Visitantes